• banner_gustavo_bernardo_metamorfose
  • banner_marcia_abujamra_2
  • banner_uma_ideia_de_arquitetura
  • banner_andre_costa
Home
Nas trilhas de um chinelo

 

nas_trilhas_de_um_chinelo

Nas trilhas de um chinelo : uma jornada pelas vias secundárias da globalização
Caroline Knowles
Tradução Angelo Martins Junior e Julio Davis
Coleção Trabalho e Contemporaneidade
Formato: 16x23 cm, 268 páginas
ISBN: 978-85-391-0884-8

 



A jornada do chinelo revela uma série de questões relevantes para a teoria social e cultural
Angelo Martins Jr.

Começando nos poços de petróleo do Kuwait e terminando em um aterro na Etiópia, este livro é uma colaboração com o artista Michael Tan, resultado de seis anos de pesquisa etnográfica que seguiu a biografia de um par de chinelos, desde a extração de sua matéria-prima até sua disposição. Qual teria sido a razão para fazer isso? Ela nos responde: chinelos são um par de calçados com “massa crítica e apelo de massa entre diferentes espectros sociais e continentes”. Assim, essa mercadoria comum e diária pode ser utilizada como lente para fornecer novas formas de se pensar a globalização. Knowles passa por cinco países, demonstrando relações e conexões entre macroestruturas e o cotidiano, relacionando histórias econômicas, sociais e políticas com vidas e jornadas diárias. Assim, a jornada do chinelo revela uma série de questões relevantes para a teoria social e cultural, como questões de classe e mobilidade, as múltiplas relações sociais translocais, ilegalismos, transportes, expansão de mercados, migração, questões ambientais, relações de gênero e geopolítica global. Tal análise, profundamente inovadora, levanta uma série de questões centrais que os estudos sobre a globalização não podem ignorar, forçando-nos a produzir novos pensamentos sobre o que é a globalização – e como ela funciona. Aqui, o leitor e a leitora serão diretamente desafiados a repensar as formas pelas quais eles, possivelmente, entendem e atuam no “mundo em movimento”.

 

O trabalho teórico de Caroline Knowles sobre globalização, cidades e mobilidade tem tido continuidade em numerosos artigos publicados, mais antigos e mais recentes. Todavia, atualmente, as suas pesquisas e publicações voltam-se mais fortemente para um dos principais componentes da globalização, a circulação de pessoas como migrantes e as formas como eles compõem e conectam as cidades e as paisagens/cenas globais. Recentemente, ela completou um estudo sobre migração de jovens em três cidades – Pequim, Hong Kong e Londres. Em 2017, ela foi premiada com a Leverhulme Major Fellowship para desenvolver o seu projeto Serious Money: a Mobile Investigation of Plutocratic London. Nesse grande projeto sobre Londres, ela explorará os bairros e as vidas dos plutocratas de Londres, procurando conferir “carne e osso” à circulação de capitais globais que chegam e passam por Londres, além de examinar tanto os novos quanto os tradicionais territórios dos “plutocratas locais”. O referido projeto irá realizar-se através de uma “caminhada” pela Londres plutocrática, aprofundando o envolvimento de Caroline Knowles com métodos móveis de investigação e práticas de construção de cidades, agora por plutocratas locais e migrantes. Mas, isso é uma outra história, que espero em breve também possa ser disponibilizada aos leitores e leitoras brasileiros.

 

 
^ Top ^