• banner_rdmp_2_-_jpg
  • banner_-_liebermann_-_jpg
  • banner_-_mara_-_jpg
  • banner_-_marina_-_jpg
Home
Religião, diálogo e múltiplas pertenças

 

religiao_dialogo_e_multiplas_pertencas

Religião, diálogo e múltiplas pertenças
Angelica Tostes e Claudio de Oliveira Ribeiro
Formato: 16x23 cm, 138 páginas
ISBN: 978-85-391-0968-5

 

As experiências de dupla ou múltipla pertença religiosa são muito mais abundantes do que se imagina
Por Claudio Ribeiro

 

Esta obra que ora apresentamos contém análises de pesquisadores e pesquisadoras de certo destaque no cenário acadêmico sobre as experiências de dupla ou múltipla pertença religiosa, dentro do quadro de valorização do pluralismo. Tais vivências são muito mais abundantes do que se imagina, possuem conexões com variados aspectos do quadro cultural brasileiro e ainda não encontram a atenção e a visibilidade devidas por partes dos setores sociais, religiosos e acadêmicos e outros grupos interessados no campo das espiritualidades e no estudo da religião.

As abordagens do tema serão feitas a partir da indicação de elementos que possibilitam avaliações mais apuradas das experiências de múltiplas pertenças religiosas, sobretudo no Brasil, e como elas incidem na reconstrução das identidades religiosas e das culturas. Entre tais elementos, se destaca a atenção das pessoas e de grupos para o crescente quadro de pluralismo religioso, o que lhes possibilita maiores informações e mais fácil e rápido acesso às diferentes propostas religiosas.

Um segundo elemento é a importância de se pensar criticamente o quadro de pluralismo religioso, não a partir do conceito moderno de religião, em geral compartimentalizado, racionalizado e formal, mas a partir de como se dá efetivamente a relação entre vida cotidiana e expressões de fé. A própria expressão dupla ou múltipla pertença pode não ser considerada adequada se for entendida sob o viés das religiões institucionalizadas. Ou seja, o que pode ser visto como dupla ou múltipla pertença por um estudioso ou estudiosa do assunto, autoridades religiosas ou mesmo para pessoas interessadas no tema, pode não ser para uma pessoa ou grupo que vive tal experiência e a considera integradora e única, ainda que tenha múltiplas faces.

Outro elemento importante nas análises é a verificação de que tais experiências são vividas em espaços de fronteiras e nos entre-lugares das culturas onde brotam os novos signos que colaborarão e contestarão as definições e ideias sobre as sociedades. Ao lado disso está o reconhecimento de que a matriz cultural e religiosa brasileira, devido ela ser marcada historicamente por elementos mágicos e místicos, fruto de uma simbiose das religiões indígenas, africanas e do catolicismo ibérico, facilita os chamados processos de dupla ou múltipla pertença religiosa.

Outra constatação é o declínio das religiões tradicionais e o crescimento das novas expressões religiosas não-cristãs, além da presença das pessoas sem-religião. Além disso, vemos também que o fenômeno de trânsito religioso se dá a partir de processos complexos de reelaborações e recriações culturais, resultantes das interações de variados sistemas de crenças, não se reduzindo à apenas a transferência de uma religião para a outra. Essa variedade de processos gera duplas ou múltiplas pertenças religiosas.

Portanto, o quadro religioso brasileiro é complexo e variado e, para o compreendermos melhor, precisamos de maior atenção à diversidade cultural, análises científicas mais precisas e enfoques inovadores. É que esperamos oferecer com essa obra.

 

 
^ Top ^