Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 0 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
Código florestal e compensação de reserva legal : ambiente polít
Código florestal e compensação de reserva legal : ambiente polít
De: R$ 69,80
  Por: R$ 69,80
Economia de R$ 0,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
Aprendizagem social e áreas de proteção ambiental
Aprendizagem social e áreas de proteção ambiental
R$ 54,40
R$ 54,40
Veja mais novidades
A criança e o arquiteto
A criança e o arquiteto
Código do Produto: 16x23
De: R$ 77,00
Por: R$ 57,75
Economia de R$ 19,25
 

A criança e o arquiteto

Andréa Zemp Santana do Nascimento

Formato 16x23cm, 290 páginas

ISBN 978-85-391-0655-4



 Seria possível pensar arquitetura como a criação de lugares repletos do entusiasmo e da “liberdade imprevisível” que se revelam nos olhos da criança e em seus gestos enquanto constrói, destrói, recompõe seus espaços para brincar? O livro de Andréa Zemp Santana do Nascimento, “A criança e o arquiteto: quem aprende com quem?” sugere que é possível e desejável, ao se pensar a concepção dos es­paços da criança, construir com ela um diálo­go sensível que acarrete na invenção de uma nova linguagem criativa, da qual participem ainda atores como o artista, o educador e o terapeuta ocupacional. À concepção projetu­al originada deste encontro, a autora atribui o nome de práticas projetuais e espaciais com a criança, que envolvem as noções de processo, ação e movimento, contrapondo-se aos pro­jetos para a criança, os quais deixam a esta apenas o papel de usuária. Partindo da fusão entre prática e reflexão teórica, a autora reforça a urgência da criação de uma experiência de autoria compartillhada, na qual o arquiteto se despeça de seu papel de autor principal e passe a inserir-se, junto à criança, em uma rede de forças criativas mais ampla, a partir da qual se originem lugares onde seja possível expressar-se com autenticidade e tecer outros mundos.

 
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail