• banner_michel_schl
  • situandojanejacobs2
  • banner_parlamento_dos_invisiveis2
  • banner_ronaldo_trindade2
Home
O galope nordestino diante do parque industrial

 

o_galope_nordestino

O galope nordestino diante do parque industrial: o projeto estético do Quinteto Armorial no Brasil moderno
Nívea Lins santos
Formato: 16x23 cm, 220 páginas
ISBN: 978-85-391-0891-6

O Quinteto Armorial foi um grupo de música de câmara formado no Recife que vigorou entre os anos de 1970 e 1980. Desenvolvendo uma música nacional com base em representações do universo popular, mas de modo a dialogar e trazer para si, concomitantemente, elementos da cultura erudita européia, o grupo integrou o Movimento Armorial, iniciativa direcionada à concepção de uma arte nacional a partir de elementos da cultura popular do Nordeste brasileiro.

 

Neste livro, Nívea Lins Santos analisa as balizas para a criação musical do Quinteto Armorial, tanto em questões estéticas e de técnicas musicais, quanto em seus aspectos históricos e sociais.

 

Nívea Lins Santos é Mestre em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

 

Compre aqui

 

O grupo possuía um Daimon, um espírito que soprou e deu-lhe vida: Ariano Suassuna

Por Henry Burnett

 

O assombro com o que podemos encontrar fora da tradição arraigada de traço lírico-comercial-arcaico é maior do que podemos imaginar. Um dos grandes exemplos, o Quinteto Armorial, é o tema deste livro. Não é comum, mas o grupo possuía um Daimon, um espírito que soprou e deu-lhe vida; chamava-se Ariano Suassuna, o cavaleiro da cultura nordestina, que viveu nela e para ela toda uma vida, com muitos acertos e alguns excessos que não chegam a ser descartáveis, pois são cheios de ironia e comicidade irresistíveis. Quando provocado a recuperar a história do Quinteto, ele disse que a ideia era conceber, como uma ramificação do Movimento Armorial,um grupo que produzisse“música brasileira erudita de raízes nacionais e populares”. Quando lemos esta frase algumas vezes, flagramos nela algumas pistas que, lamento, podem mais confundir que nos ajudar a entender o que queriam Suassuna e seus pares. Foram quatro álbuns gravados pelo Quinteto Armorial, nada mais que isso. Nívea Lins Santos debruçou-se com esmero sobre esse material, que compõe um dos momentos mais altivos da música nacional, e acrescenta à bibliografia escassa sobre o grupo uma obra que, salvo engano,deverá se tornarem breve uma referência para pesquisadores e ouvintes.

 
^ Top ^